Como-resolver-uma-das-maiores-dúvidas-do-redator-Como-precificar-o-seu-trabalho

Se você é redator ou produz conteúdo sabe como é difícil e complicado precificar o seu trabalho, principalmente se você está iniciando na área.

Definir o preço do seu serviço é uma tarefa que deve ser bem analisada, lembrando que uma vez definido, dificilmente o seu cliente irá aceitar um acréscimo no valor simplesmente porque você não soube cobrar pelos seus serviços.

Como precificar o trabalho de um redator?

A forma mais indicada (e talvez mais sensata) é fazer uma média regional ou se possível nacional de um profissional sênior e depois dividir pelo número de horas trabalhadas.

Mas espera aí, o rendimento de um profissional não se resume apenas a um salário, mas sim todos os outros benefícios que fazem parte da sua remuneração total.

Lembre-se que salário é diferente de remuneração, pois a remuneração é a composição de todos os ganhos, incluindo o salário.

Nisso entram:

  • plano de saúde
  • alimentação
  • condução e transporte
  • e até mesmo algum plano de previdência privada (se for o caso).

Definido todos esses benefícios ou remunerações extras é possível facilmente usar a simples matemática para chegar a um valor próximo dos seus serviços.

Como precificar o seu serviço na prática:

Supondo que a remuneração média de um redator esteja em torno dos R$ 3.000,00 (três mil reais). Então é só dividir esse valor pelos dias trabalhados (22 dias por mês, excluindo os finais de semana).

Temos aí R$ 136, por um dia de trabalho de 8hrs.

Dividindo esses R$ 136 por 8, temos aí R$ 17,00 o valor da hora/trabalho.

Vamos então ao que interessa que é saber como precificar o trabalho de um redator

Agora que você já sabe o quanto custa em média a sua hora de trabalho fica fácil definir os preços dos seus textos.

Vamos dar um exemplo real:

se você leva em média duas horas para fazer um texto de 500 palavras, então é só você pegar o valor da hora e multiplicar por 2, correto? Então você vai ter em média, R$ 34 por um texto de 500 palavras.

Para facilitar é possível arredondar e definir o preço final em R$ 35.

Esta é apenas uma das formas de precificar o seu trabalho levando em consideração que tudo pode ser negociado dependendo da demanda, do cliente e das outras especificidades do trabalho.

A experiência e prazos também contam, pois quanto maior é a sua expertise na área, mais você pode cobrar pelos serviços. Mas nem por isso os clientes irão aceitar o seu preço.

E quando o cliente pede outros serviços incluídos?

Agora você vai se perguntar: e se o cliente pedir para que eu gerencie as postagens no seu site ou editar imagens para os artigos ou gerenciar as suas redes sociais?

Bem, aí são outros tipos de serviços, pois aqui estamos nos resumindo ao trabalho de redator em si, mas a mesma dica fica para outras tarefas.

Sendo assim, analise a média de ganhos dessas outras áreas e chegue ao valor de hora/trabalho. E depois, inclua no seu serviço de produção de conteúdo.

Para ficar mais claro ainda, você pode fazer dois orçamentos:

-um apenas para produção de conteúdo onde você irá entregar apenas o texto para o cliente, conforme combinado;

-e outro com o serviço completo onde você pode incluir também a gestão do site, a edição de imagens e a gestão das suas redes sociais.

Dar descontos ou não?

O que ocorre muito no mercado é que muitos clientes gostam de barganhar e apresentam uma proposta de um “pacote de trabalho”.

Nessa situação, geralmente o cliente pede descontos no valor por ter uma demanda consideravelmente grande. Aceitá-la ou não é uma decisão estritamente pessoal e de acordo com sua capacidade.

A dica nesta situação é: vale mais a pena você trabalhar por qualidade do que por quantidade.

Porém, se você se acha apto a conseguir entregar em tempo hábil a demanda do cliente, então sim vale a pena aceitar uma demanda especial por um preço melhor para o cliente.

Lembrando que na área de produção textual e produção de conteúdo em geral, quanto maior a demanda, mais trabalho você terá e os seus custos operacionais não mudarão em relação ao acréscimo dessa demanda (muito pelo contrário).

Conclusão

A ideia de “valor fixo” sobre um determinado trabalho não existe, pois tudo vai depender de diversos fatores como: qualidade do seu trabalho, experiência e principalmente, dos seus diferenciais em relação aos outros profissionais.

Para quem está começando ou mesmo já trabalha algum tempo como freelancer, mas não tem critérios definidos para precificar o seu trabalho, fica aqui um “norte” que pode até mesmo ser justificado para o cliente quando o mesmo desejar barganhar ou aviltar o seu trabalho.

Sou o fundador e principal editor da Verbum Conteúdo. Sou apaixonado por conteúdo em todos os seus formatos.

Também atuo como pesquisador da área de redação web. E acreditem: eu não gosto de café!

Leave a Comment