Efeito halo na redação web

 

Como já sabemos, a redação web se difere pelo seu formato e estilo, onde as informações tem um dever de despertar o interesse previamente no leitor para então serem apreciadas por completo.

Assim como a leitura é feita de forma diferente, a escrita também segue as mesmas premissas, o que faz com que outros elementos sejam atribuídos ao texto como:

  • Palavras-chaves
  • Links
  • Listas
  • Intertítulos

O grande desafio da redação web

Ler em uma tela é diferente do que ler em um papel. A leitura na web se torna cansativa e para agravar ainda temos outros estímulos, como anúncios, redes sociais, e-mails e outros fatores que fazem com que o leitor se disperse facilmente.

Com isso, cada vez mais as técnicas de redação web precisam ser aprimoradas para que todo esse processo de leitura seja otimizado e se consiga deter o máximo de atenção de um leitor. Afinal, a atenção é a moeda na Internet.

Mas afinal, qual é o grande desafio da redação web? Sendo o mais objetivo: é prender a atenção do leitor no maior tempo possível com o intuito de fazê-lo executar uma ação.

Essa ação pode ser um “clique aqui”, um “cadastre-se agora” ou até mesmo um “leia mais”. O chamado call to action é o verdadeiro sentido de toda redação web.

Mas o que é esse tal efeito Halo/Horn

O efeito halo/horn é um dos paradigmas que rodeia a Psicologia e as relações sociais, pois o fenômeno é muito comum em nosso cotidiano e tanto eu como você já deve ter vivenciado ou gerado tal efeito.

O efeito halo foi percebido na Primeira Guerra Mundial pelo psicólogo norte americano Edward Thorndike, por meio de diversos experimentos psicológicos com o exército do país.

Resumidamente, o efeito halo/horn consiste em obter conclusões instantâneas sobre um indivíduo com base em algumas características e atributos.

Logo, se uma pessoa demonstra ser boa em alguma habilidade cria-se a ideia de que ela também é boa em outros aspectos. Esse é o efeito Halo.

Já o contrário também ocorre, pois se uma característica negativa é previamente observada há a ideia de que o indivíduo em questão não possui nenhuma habilidade positiva. Esse é o efeito Horn.

Esse fenômeno é bastante conhecido no meio organizacional, nas áreas de Desenvolvimento Humano e Avaliação de Desempenho, mas também pode ser percebido em estudos de Marketing e Comunicação.

O autor do estudo descobriu que, quando as pessoas eram convidadas a avaliar os outros com base em uma série de atributos, uma percepção negativa de qualquer característica poderia comprometer todos os outros resultados.

E o que tem a ver com redação web?

No contexto da redação web, o efeito halo/horn ocorre sempre (ou quase sempre) na mente do usuário, tendo em vista que na web o leitor primeiramente “passa os olhos” no texto antes de lê-lo em busca de trechos interessantes, palavras-chaves ou até mesmo para analisar o comprimento do conteúdo.

Isso mesmo, o comprimento linear e a formatação do seu texto podem influenciar significativamente no interesse pelo mesmo, lembrando que na web o leitor raramente lê até o final do parágrafo.

Repare! Inconsciente você deve ter feito isso com este texto e faz isso em praticamente tudo que vai ler na Internet, porém tudo ocorre rapidamente e de forma automatizada.

Passo a passo do leitor web:

1º analisa o comprimento linear do texto

(se for “textão”, é bem provável que não leia)

2º Analisa a estrutura dos parágrafos (curtos ou longos)

(parágrafos curtos dão a impressão que a leitura será mais rápida)

3º Analisa se há intertítulos

(subtítulos dão a impressão de menor amplitude ao texto)

4º “Busca” por informações-chaves

(nessa etapa o leitor “escaneia” o texto em busca de alguma informação que julga válida para continuar a leitura)

5º Tomada de decisão

(Dependendo do resultado do escaneamento o leitor decide se vale ou não ler o texto)

Entendendo o efeito halo/horn no conteúdo textual

Com o breve processo que vimos acima podemos ter uma ideia de como trabalhar a redação web em face ao efeito halo. O segredo está em entender a mente do leitor web.

Logo, se o seu texto aparenta ser longo, enfadonho e com uma estrutura cansativa é bem provável que o leitor abandone o seu conteúdo e o classifique como algo ruim.

Dessa forma, tudo o que for produzido pela sua empresa ou marca pode ser bem apreciado ou passar despercebido quando o usuário cria essa “etiqueta” sobre o seu conteúdo. Etiqueta essa que pode ser negativa ou positiva.

Efeito Halo/Horn, conteúdo e a percepção da sua marca

Neste ponto, o conteúdo produzido por uma empresa pode dizer muito sobre o que ela representa no mercado e consequentemente mudar a percepção dos usuários: para melhor ou para pior.

O que se pensa quando lemos um texto produzido por uma marca que aparentemente está mal escrito, sem coerência ou confuso?

  • falta de profissionalismo;
  • desconhecimento;
  • descaso com o consumidor;
  • reputação questionável;
  • despreparo;

Com tudo isso exposto, você teria coragem de fazer negócios com uma empresa assim? Muito provável que não!

“Se eles escrevem assim, imagine como deve ser o serviço ou produtos dessa empresa!”

Essa é a percepção que um potencial cliente terá sobre a sua empresa em relação ao conteúdo gerado. É o Efeito Horn entrando em ação.

Conclusão

Conhecer tais fenômenos pode ser muito útil para entendermos o porquê que algumas ações ou situações geram certas percepções. O conteúdo é só mais um desses atributos que causam o efeito halo/horn.

Como forma simples de exemplificar esse efeito em nosso texto é só lembramos aquela máxima popular que diz: “a primeira impressão é a que fica.”  

E aí, você sabe ou já parou para pensar qual é a impressão que o seu conteúdo causa nos leitores e clientes?

Leave a Comment